top of page
  • siteatlassociacao

Comissários votam e aprovam proposta da Mongeral Aegon

Caros associados,

Às 10h00 desta terça-feira (22/03) a ATT realizou a apuração dos votos sobre a nova proposta de seguro da Mongeral Aegon para PCHV (falecimento e perda de CMA) destinada aos comissários. A votação foi realizada entre 09 e 21 de março na sede da ATT e entre os dias 14 e 18 de março nos D.Os. dos aeroportos de Guarulhos (SP), Galeão (RJ), Brasília (DF) e Salgado Filho (RS). Foram 116 votos computados, 70 favoráveis à mudança, 42 contrários e quatro nulos, ou seja, mais de 60% aprovou a proposta. Portanto, a partir do dia 1º de abril os comissários serão migrados para o plano básico.

Veja novamente as condições:

A partir da data de migração, os comissários terão seis meses para realizar uma alteração entre os capitais segurados de R$ 55.000, R$85.000 ou R$ 130.000 sem nenhum tipo de carência. Porém, para o último plano, será necessário o preenchimento de proposta e Declaração Pessoal de Saúde – IRB.

Todos os comissários já associados têm a migração autorizada, mesmo que já possuam doenças pré-existentes, o ÚNICO risco excluído é o psíquico. Caso algum comissário em CAM I venha a perder a carteira, também estará coberto pelo seguro da Mongeral Aegon, exclusivo da ATT.

Além da mensalidade do plano, o comissário continuará contribuindo com R$ 39,00 por mês para pagamento de CAM II às pessoas que deram entrada ao benefício antes do dia 1º de abril de 2016. Após a venda do prédio da associação, o passivo total será quitado e esse valor deixará de ser cobrado de forma permanente.

Os associados que já possuem o seguro para PCHV da Mongeral Aegon, fechado antes da descontinuidade por parte da seguradora, podem permanecer com o plano, mesmo com essa nova parceria. Ou seja, terão acesso a dois planos e dois capitais segurados.

O melhor do mercado

Atualmente, nenhuma empresa ou entidade oferece esse tipo de serviço para a categoria. Apenas a ATT, em parceria com a Mongeral Aegon, proporciona um seguro completo para perda de carteira. A concorrência oferece, atualmente, um plano parecido, mas que NÃO COBRE PERDA DE CARTEIRA. Além disso, o seguro integral no plano concorrente é pago apenas em caso de falecimento ou invalidez funcional, quando o paciente atinge o grau de estado vegetativo.

No caso do plano ATT Mongeral Aegon, o comissário que perder seu CMA receberá o seguro após a regularização da documentação necessária, em até dez dias. O plano abrange todos os casos de invalidez laborativa, que impossibilita o exercício da profissão. A empresa realiza a cobertura integral em qualquer ocorrência, enquanto o plano da concorrente paga valores parciais, entre 30% e 70% apenas.

Vale ressaltar, também, que os riscos excluídos no plano da ATT são menores, tornando o seguro mais acessível em caso de necessidade.

Veja o quadro comparativo abaixo:

A migração com risco excluído apenas para casos psíquicos é exclusiva para quem for associado ATT até o dia 31 de março. O contrato com a Mongeral Aegon para comissários é EXATAMENTE IGUAL (exceto valores) ao contrato dos pilotos já praticado junto à empresa.

CAM I

O CAM I, destinado a auxiliar associados afastados temporariamente, permanecerá inalterado e promovido exclusivamente pela ATT, de acordo com o regulamento do benefício. Além disso, o valor para PCHV da Mongeral Aegon será pago de forma integral, independente do valor já utilizado em CAM I.

Em caso de falecimento, o valor do seguro também será pago de forma integral pela empresa, ao contrário do CAM II, que oferecia apenas 50% do total.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Σχόλια


bottom of page